© Iuri Albarran

DOS JOELHOS PARA BAIXO - 2007

Partindo de um desenho nascido no ATL da escola n°6 de Campo de Ourique em que os traços do lápis foram apagados pela borracha, notei que apagar sem deixar marcas era impossível. Passei, depois deste episódio, um ano a desenhar. O que fazia era seleccionar um momento do dia que tivesse tido lugar num espaço específico e desenhar os percursos que eu e outras pessoas tínhamos feito nesse lugar. Assim, para que nos pudéssemos movimentar no papel era necessário apagar-nos e redesenhar-nos noutra zona da folha. Notei que os percursos e os movimentos das pessoas no desenho podiam ser reconstruídos pelo rasto que era deixado ao apagar. Coloquei esta questão em cena, passando do suporte folha de papel ao suporte espaço. Mantive a folha de papel e trabalhei-a no estúdio fazendo-a interagir comigo. Surgiu destas experiências, que inicialmente se reduziam à transformação da matéria folha noutras matérias, uma série de acções com homens e mulheres de papel. Estas personagens são expostas a sequências de acontecimentos que determinam o seu fim ou continuação na peça. Uma cidade de papel toma forma lentamente.

1º Prémio Jovens Artistas Jovens

Criação e Interpretação - Márcia Lança
Colaboração Artística - Iuri Albarran e Tiago Hespanha
Música e Desenho de Som - Nuno Morão
Desenho - Márcia Lança
Residências Artísticas - Espaço do Tempo, Montemor-o-Novo e Atelier RE.AL, Lisboa
Direcção de produção - Sérgio Parreira
Produção e Difusão - VAGAR

Duração - 30 minutos
Público - > 6 anos



Agradecimentos - Ana Rita Costa, Andrea Brandão, António Lança, Bruno Caracol, Cláudia Dias, Cristina Cartaxo, Giacomo Scalisi, Lluis Ayet, Mafalda Oliveira, Marie Mignot, Meninos e Meninas do ATL da escola n°6 de Campo de Ourique, Natália Lança, Ninho de Víboras, Nicolas Duquerroy, Observatório Critico dos Jovens Artistas Jovens, Pedro Pires, Raphäel Michon, Sofia Campos, Tiago Lança