SÃO PRECISOS DOIS PARA DANÇAR A VALSA - 2003

Este trabalho propõe uma reflexão descontraída sobre o vazio da comunicação na sociedade contemporânea. Durante a performance um espectador é convidado ao palco para dialogar, frente a frente, com a performer Márcia Lança. Este diálogo é uma espécie de prólogo que tem por objectivo conseguir criar um momento de intimidade, qualquer que seja, entre o espetador e a performer. No entanto, pode nunca acontecer nada de íntimo e pode até mesmo não subir ninguém ao palco. Durante a performance os espectadores podem enviar mensagens de telemóvel que  são projetadas num ecrã ao fundo, onde trocam impressões sobre o que está a acontecer em cena.

 


De Miguel Clara Vasconcelos
Com Márcia Lança
Imagem SAL
Som Nuno Morão
Estreia no LAB 10 – Lugar comum, fábrica da pólvora

FICHA ARTÍSTICA

Criação e Performance _ Carolina Campos e Márcia Lança | Acompanhamento Dramatúrgico _ João Fiadeiro | Desenho de Luz _ Gonçalo Alegria | Produção _ VAGAR | Direcção de Produção _ Ana Carina Paulino | Co-produção _ Negócio ZDB e Atelier Real | Apoio _ Fundação GDA

​​Agradecimentos:  Leonardo Mouramateus, Daniel Pizamiglio, Stephan Jurgens, Martha Morais, Sinara Suzin, Zaratan Arte Contemporânea, Gonçalo Alegria, Rua das Gaivotas6, Sara Vaz, Patrícia Almeida, Adaline Anobile, DuplaCena, Hugo Barros, Ana Félix, Alfredo Haidar, Ivan Haidar, Carlinhos Santos, Paula Giusto, Cia. Matheus Brusa, Rene Mantiñan.

21 NOV' 19 . Beja - CINE-TEATRO PAX JÚLIA  / 23 NOV' 18 . Lisboa - TEMPS D'IMAGE - CAL  / 27 JUL' 18 . Montemor-o-Velho - CITEMOR / 05 OCT' 17 . Vitoria-Gasteiz - País Basco - MONTEHERMOSO

Logo_2_905_905.jpg