TROMPE LE MONDE - 2011

TROMPE LE MONDE é um movimento permanente de reinvenção, de descoberta, de abertura a novos lugares. Dá a ver – sugerindo, afirmando, revelando – o invisível. Assumindo uma ingenuidade infantil no fazer crer, no fazer de conta, no fazer desaparecer e aparecer, pretendemos fazer sonhar. Temos que fechar os olhos para ver. A ideia é imaginar.

TROMPE LE MONDE utiliza truques e efeitos mas com moderação.

TROMPE LE MONDE propõe um espaço de silêncio para o olhar. A escuta como passagem para o pensar. O maravilhoso mundo do não dito.

TROMPE LE MONDE é o lugar onde se passa o tempo, uma espécie de tempo difícil de nomear, suspenso entre a vida e a morte.

TROMPE LE MONDE é a arte de coreografar o imaginável.

FICHA ARTÍSTICA

Coreografia e Performance - Márcia Lança & Nuno Lucas
Desenho de Luz - Alexandre Coelho
Som - Olivier Renouf
Colaboração - Pedro Paiva
Produção Executiva - Sérgio Parreira
Co-Produção - Culturgest e VAGAR
Apoio à Residência - GDA – Gestão dos direitos dos artistas
Residências Artísticas - ACCCA, Bomba Suicida, Teatro Viriato,
Tanzwerkstatt – Berlim, ZDB – Negócio
Apoios - Grupo Sportivo Adicense, BLOODYMARY & BRAUN

Duração - 50'
Público - 6 anos de idade

​​Agradecimentos:  António e Natália Lança, André Thériault, António Pedro Lopes, Benedetta Maxia, Camille Laude, Cinira Macedo, Clara Andermatt, Claúdia Galhoz, Cláudio da Silva, Elpida Orfanidou, Fórum-Dança, Francisco D’Orey, Gael Cornier, Gil Mendo, Hermann Heisig, Inês Botelho, Iuri Albarran, João e Maria Lucas, João Calixto, Jorge e Júlia Almeida, Madeleine Fournier, Maria de Assis, Marta Furtado, Miguel Pereira, Naxto Checa, Nuno Moreira, Paula Garcia, Paulo Ribeiro, Pedro Cal, Pedro Louro, Pedro Valdez Cardoso, Re.al, Sabine Seifert, Sinal 26, Sofia Campos, Sofia Matos, Sofia Gonçalves, Susana Lopes, Ulrike Becker e Vladimir Zibnowski