ENSEADA – 2019

enseada © Filipe Ferreira 1.jpg
enseada © Filipe Ferreira.jpg

Uma condição necessária para duas pessoas se entenderem é essas duas pessoas terem vontade de se entender.

 

Uma pessoa chega a casa e vê um bilhete no chão, que apanha. Entrega-o a outra pessoa e diz: estava isto debaixo da porta. A outra pessoa pergunta: o que é que diz? E a primeira responde: gosto de ti. Agora a pergunta que se faz é esta: a pessoa que respondeu "gosto de ti” respondeu algo que estava a ler ou disse-o à outra pessoa: gosto de ti. Estava a ler ou a dizer? 'Enseada' é sobre a possibilidade de duas pessoas poderem falar uma com outra e entenderem-se. Uma condição necessária para duas pessoas se entenderem é essas duas pessoas terem vontade de se entender, quererem entender-se, acreditarem que é possível entenderem-se. Da mesma maneira uma condição necessária a não se entenderem é não se quererem entender. Daqui tiramos que os problemas de comunicação têm menos a ver com linguagem e mais com vontades e crenças. Enseada é definida no dicionário como um recôncavo na costa do mar, um porto de abrigo, uma pequena baía.


 

direção e texto Miguel Castro Caldas

criação Élvio Camacho, Filipe Pinto, João Caldas, Márcia Lança, Marta Félix e Miguel Castro Caldas 

com Élvio Camacho, Márcia Lança e Marta Félix

música João Caldas

espaço cénico Sara Franqueira
efeitos especiais Nuno Tomás 

figurinos Marta Félix

luz Cristóvão Cunha

assistência de cenografiaJoana Sabogueiro 

apoio à dramaturgia Ana Matoso

produção executiva Diana Almeida

residências Materiais Diversos e CCVF

produção Org.i.a 

coprodução TNDM II, Centro Cultural Vila Flor


Projeto financiado pela República Portuguesa - Cultura / DGArtes